ScreenShot022

Leonardo Amorim Os futuros policiais iniciam curso de formação de cerca de três meses na Acadepol A Polícia Civil terá o reforço de mais 156 agentes de telecomunicações e 391 agentes policiais, que tomaram posse na tarde desta sexta-feira (26), no Palácio dos Bandeirantes, no bairro do Morumbi, zona sul da Capital. De acordo com o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, cerca de 70 agentes de telecomunicações serão destinados a Delegacia Eletrônica. Durante o evento, Grella destacou a importância das carreiras. “A contratação amplia a força de trabalho da Polícia Civil na busca do aperfeiçoamento e fortalecimento da política de segurança pública, que tem por objetivo a garantia da paz pública e a qualidade de vida da população.” “Esses números são a principal demonstração que temos compromisso com as estruturas das polícias e com as pessoas”, concluiu o secretário, que fez a entrega dos distintivos e funcionais aos primeiros colocados de cada turma. Os futuros policiais civis, 492 homens e 55 mulheres, aprovados em concursos públicos, iniciam os cursos de formação de três meses na Academia de Polícia Dr. Coriolano Nogueira Cobra (Acadepol). Além das aulas, os alunos passaram por um período de estágio. “Esses novos profissionais não se constituem somente a um benefício à instituição policial, mas, sim, a um benefício à população de São Paulo”, afirmou o delegado geral, Luiz Maurício Souza Blazeck. Durante o curso, eles terão aulas de disciplinas como criminalística, criminologia, direitos humanos, inteligência, investigação e inquérito policial, entre outras. Os novos policiais serão designados para unidades da Polícia Civil em todo o Estado, de acordo com a classificação final do curso na Academia e da necessidade de cada região. Entre as funções dos agentes policiais está participar de investigações, atender ocorrências policiais e realizar pesquisas para esclarecer crimes. Já o agente de telecomunicação tem como principal função operar o rádio no Centro de Operações da Polícia Civil (Cepol). Também exerce atividades relacionadas como a informática, incluindo o projeto e implantação de redes de comunicações e de dados, além de efetuar as atividades relativas a comunicação e transmissão de mensagem nas delegacias e departamentos da Polícia Civil. Grella anunciou que, dos 156 novos agentes de telecomunicação, 70 reforçarão a Delegacia Eletrônica. Segundo o secretário, desde a ampliação da delegacia no final do ano passado, quando passou a receber ocorrências de roubos de veículos e de rua, a demanda vem crescendo. O governador Geraldo Alckimin também disse que esses profissionais “vão ser importantíssimos no mundo onde a tecnologia avança muito rápida e que é preciso usá-la a serviço da sociedade”. Participaram do evento também o comandante geral da Polícia Militar, coronel Benedito Roberto Meira, a superintendente da Polícia Técnico Cientifica, Norma Bonaccorso, e o diretor do Departamento de Administração e Planejamento da Polícia Civil, Sílvio Balangio Junior. Maior contratação da história As Polícias Civil e Técnico-Científica farão a maior contratação já feita na história das duas instituições. Serão 2.805 cargos na Civil e 1.853 na Científica, aumentando o efetivo da instituição em 64%. Desta vagas, há concursos abertos para 3.381. Estão abertas seleção para 1.384 investigadores, 788 escrivães e 129 delegados. Outros sete concursos abertos vão selecionar peritos criminais (447), médicos legistas (140), técnicos de laboratório (84), fotógrafos técnico-periciais (120), desenhistas técnico-periciais (55), atendentes de necrotério (89) e auxiliares de necropsia (145). As contratações fazem parte do “São Paulo Contra o Crime”, um conjunto de ações estratégicas, anunciado em maio do ano passado pelo governador Geraldo Alckmin, que visa diminuir os crimes e valorizar as polícias. O investimento anual do Governo do Estado com as contratações será de R$ 305 milhões.