00021498
Polícia Civil
Quadros recuperados estão avaliados entre R$ 7 e 9 milhões

A Polícia Civil recuperou seis quadros – cinco do artista Alfredo Volpi e um de Ivan Serpa – que foram roubados da casa de um colecionador em outubro de 2011. Três homens que estavam com as telas e tentavam vendê-las foram presos em flagrante nesta quarta-feira (11). As obras recuperadas estão avaliadas em R$ 7 a 9 milhões.

Ao longo das investigações, policiais do 15º Distrito Policial (Itaim Bibi) buscaram por informações de possíveis ofertas de venda dos quadros. Há alguns dias, as equipes descobriram que um homem, conhecido como “Tião”, estava repassando os objetos roubados.

Os policiais conseguiram o número do celular do suspeito e o contataram, fingindo serem compradores interessados nas obras. Na primeira ligação, o homem já confirmou que estava com as seis telas dos artistas e que queria R$ 1,5 milhão por elas, já que a origem das obras era criminosa.

Então, os investigadores marcaram a suposta compra de uma das telas de Volpi, por R$ 215 mil, para as 14 horas desta quarta-feira (11), na Avenida Paulista. Na data e horário combinado, o marceneiro S.L.F., de 52 anos, compareceu com a obra de arte negociada.

O homem, que já era procurado pela Polícia Civil por não pagamento de pensão alimentícia, foi preso em flagrante. Em seguida, o suspeito revelou que o “intermediário” que conhecia o vendedor das telas estava em frente a uma estação de trem na Lapa, zona oeste da Capital.

No local indicado, as equipes detiveram o comerciante P.L.C., de 61 anos, que já possui antecedentes criminais e estava procurado por receptação. O acusado admitiu que intermediava a venda dos quadros e disse que o possuidor das obras poderia ser encontrado em uma loja.

Recuperados

Na Rua Doze de Outubro, no Alto da Lapa, os policiais localizaram o estabelecimento de compra e venda de joias, ouro, quadros e obras de arte. As equipes ficaram de campana até que o também comerciante J.T.F., de 69 anos, saiu do imóvel e foi abordado.

O suspeito, que também tem passagens pela polícia, confessou que estava com as telas roubadas. Ele disse ter adquirido sete obras de Volpi e uma de Serpa, por R$ 30 mil, há cerca de três anos. O comerciante, conhecido como “Cigano” e “Alemão”, assumiu que sabia que os objetos eram roubados.

J.T.F. revelou, ainda, que as obras estavam em sua casa de praia, em São Sebastião. Na residência, as equipes apreenderam as telas, que ficavam escondidas atrás de uma parede falsa do imóvel. As obras foram apreendidas e serão devolvidas ao dono, um comerciante de 75 anos.

Os três homens foram presos e indiciados por receptação qualificada. As investigações prosseguem para recuperar os demais quadros levados pelos assaltantes e verificar a relação da quadrilha do roubo com o trio preso.

O caso

Os quadros foram roubados no dia 30 de outubro de 2011 da casa de um colecionador, no Jardim Europa, zona sul da Capital. Na ocasião, um funcionário da vítima foi rendido em Cotia, na Grande São Paulo, e obrigado a acompanhar os assaltantes até a casa do colecionador.

Na residência, os criminosos amarraram a esposa do comerciante e as empregadas e roubaram, entre outros objetos, oito telas de Volpi e uma do artista Serpa.

Folder março