Nos Bastidores do Arthur é um Projeto do Teatro Arthur Azevedo, iniciado durante a quarentena da pandemia do Covid-19, no qual engloba nas sextas-feiras, às 19h, um bate-papo no instagram do Teatro, com profissionais que atuam nos bastidores das produções, em diversos setores: iluminação, sonorização, cenografia, audiovisual, entre outros. Neste dia receberemos a técnica de som Florencia, que há mais de 25 anos atua no mercado de áudio, começando sua carreira no Rio de Janeiro, em importantes estúdios. Foi uma das pioneiras em edição digital no Brasil. Atua em live sound para Gal Costa, Chico César, Luiza Possi, Filipe Catto, e para vários artistas independentes. Foi engenheira responsável pelo projeto Escuta as Minas, do Spotify Brasil, em 2019.

Data: 10/07 (sexta)

Horário: 19 horas

Classificação Indicada: Livre

Mídia: Instagram do TAA @teatroarthurazevedosp

Roda de Choro Ao Vivo com Clube do Choro de São Paulo

Sinopse:

O Teatro Arthur Azevedo e o Clube do Choro de São Paulo seguem com a programação do projeto online. Neste sábado, o Teatro Arthur Azevedo recebe a “Roda de Choro ao Vivo com o Clube do Choro de São Paulo”, com muita música boa e bate-papo com os convidados.
Data: 11/07 (sábado)
Horário: 17 horas
Duração: 60 minutos
Classificação Indicativa: Livre
Mídia: Facebook do TAA https://www.facebook.com/teatroarthurazevedosp

Sons d’Oeste

Sinopse:
Sons d’Oeste vem experimentar timbres da natureza e unir diferentes instrumentos de percussão em cena. Trabalhando ritmos tocados no passando e vivenciados no presente, com o intuito de trazer o passado para o presente.
Nesta edição especialmente as cenas acontecerão em formato de vídeos com cada integrante em casa, realizando as coreografias do espetáculo em formato de pocket show, mas sem perder a essência do grupo. Uma conversa entre os ritmos e movimentos tradicionais da cultura mandingue, com ênfase nas etnias Malinké, Baga e Sussu, da região da Guiné Conakry, reconhecida mundialmente por seus balés. Com dança e música tradicional, o trabalho traça, sob a ótica deste peculiar povo do oeste africano, um cenário das situações sociais mandingues, dentre as quais algumas também são encontradas no Brasil, revelando as grandes semelhanças existentes ainda nos dias de hoje entre nossa cultura e uma das nossas culturas de origem, a rica cultura africana. A dança é inspirada nos rituais cerimoniais dos povos da Guiné. Na cultura dessa região, a música e a dança fazem parte do cotidiano, havendo danças, cantos e ritmos específicos para cada ocasião social como batismos, iniciações, casamentos, trabalho no campo.

Data: 11/07 (sábado)
Horário: 21 horas
Duração: 40 minutos
Classificação Indicativa: Livre
Mídia: Facebook do TAA https://www.facebook.com/teatroarthurazevedosp

A Ilha do Tesouro

Sinopse:

Em um solo com bonecos a Cia O QUE DE QUE conta A Ilha do Tesouro, uma história cuja trama de aventura remete aos contos de heróis e suas provações, mas aqui nosso protagonista é Jim, um jovem, com cerca de 11 anos. Esse corajoso aventureiro conhece um velho lobo do mar, ganha um mapa do tesouro, singra os mares dentro de um enorme navio, enfrenta piratas, vence os perigos de uma ilha deserta, encontra um fantasma e por fim, descobre o seu tesouro.

Data: 12/07 (domingo)
Horário: 16 horas
Duração: 50 minutos
Classificação Indicativa: Livre
Mídia: Facebook do TAA https://www.facebook.com/teatroarthurazevedosp e Instagram do TAA @teatroarthurazevedosp

Sinospe: O espetáculo “Letras Perambulantes”, conta um pouco da vida e da obra do poeta cearense Patativa do Assaré. Com dramaturgia de Aline Anfilo e Geni Cavalcante, a encenação trata com muita poesia e leveza, a história do menino Antonio – filho de um agricultor e uma dona de casa, do sertão do Cariri – que desde muito pequeno mostra seu interesse e sua habilidade com as palavras e com os cordéis. Um menino que mesmo tendo que trabalhar tão cedo, não deixava se encantar com o mundo dos cordéis, dos repentes e cantorias. E mesmo tendo estudado apenas 6 meses, cresceu escrevendo poemas e cordéis, sempre retratando seu povo e sua terra. A trilha sonora é composta de músicas de Luiz Gonzaga e Fagner (que musicaram os poemas de Patativa); e por uma trilha original composta exclusivamente para o espetáculo, por Aline Anfilo e Zé Modesto, que também assina a direção musical. A trilha é executada ao vivo pelas atrizes, que se revezam entre os personagens reais e fictícios desta belíssima história.

Data: 12/07 (domingo)
Horário: 19 horas
Duração: 60 minutos
Classificação Indicativa: Livre
Mídia: Facebook do TAA https://www.facebook.com/teatroarthurazevedosp