No próximo fim de semana, a Estudo de Cena apresenta dois espetáculos diferentes em São Paulo. No sábado o grupo se apresenta na sede do Teatro Popular União e Olho Vivo, no Bom Retiro e no domingo, a apresentação acontece na Ocupação Marielle Franco, do MTST, no Grajaú. As apresentações são gratuitas!

Estudo de Cena apresenta espetáculos sobre a história do Brasil na sede do TUOV no Bom Retiro e na Ocupação Marielle Franco no Grajaú

Nos dias 04 e 05 de Agosto, a Companhia Estudo de Cena realiza mais duas apresentações gratuitas do projeto Teatro e Memória contemplado pelo edital 09/2017 do PROAC Circulação de espetáculo de Artes Cênicas para Rua no Estado de São Paulo. Com este projeto o grupo convida a população para participar de um momento de troca e de valorização da nossa memória e da nossa cultura.

No sábado (04), às 16h00, o grupo apresenta o espetáculo Guerras Desconhecidas, na sede do TUOV – Teatro Popular União e Olho Vivo, localizada no Bairro Bom Retiro. Já no domingo (05), é a vez do grupo apresentar A farsa da justiça, na Ocupação Marielle Franco (ocupação do MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), que fica no Grajaú, Zona Sul de São Paulo. 

“Nosso teatro narra histórias de revoltas populares que não são lembradas pela história oficial do país, mas que pertencem ao imaginário coletivo de parte do povo brasileiro e retratam a diversidade de nossa cultura. Nesse contexto, esse projeto é um convite à memória social, para que através dela possamos refletir sobre o nosso presente.” – complementa Diogo Noventa, diretor e dramaturgo da Companhia.

A temporada de circulação do projeto “Teatro e Memória” acontecerá entre Junho e Agosto, e já passou por cidades como Pindamonhangaba, Presidente Prudente, Tremembé, São Paulo e tem ainda apresentações confirmadas em Santo AndréABC Paulista.

 

Sobre o espetáculo Guerras Desconhecidas

 

O espetáculo Guerras Desconhecidas é apresentando em uma “Barraca de Cena”, um teatro mambembe realizado em uma estrutura de ferro e lona, com cerca de trinta e seis metros quadrados. Com essa barraca, o grupo já se apresentou em lugares emblemáticos para a criação do espetáculo. Em uma temporada especial pelo sertão, o grupo visitou feiras, praças e universidades das cidades de Juazeiro, Canudos, Uauá e Euclides da Cunha, na Bahia e Alagoa Grande, Itabaiana e João Pessoa, na Paraíba. Além de ter realizado vinte apresentações experimentais em dez feiras livres diferentes da cidade de São Paulo.

As cenas realizadas remetem o público a três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial do país: a Guerra do Pau de Colher, a Guerra de São Bonifácio e a Guerra do Quintino Gatilheiro. A fonte de pesquisa dessas histórias foi o caderno “Guerras desconhecidas do Brasil” escrito pelo jornalista Leonencio Nossa e publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro de 2010.

Guerras Desconhecidas faz alusão também a escritos dos palestinos Edward Said e Mahamud Darwich, do peruano Aníbal Quijano e do poeta da Martinica, Aimé Césaire.

 

O espetáculo estreou em 2014, tendo como tema central conflitos sociais da história do Brasil, essas demonstrações coletivas de luta por uma vida digna e por respeito à diversidade cultural brasileira. Com ele, o grupo recebeu o Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro na categoria de “Grupo Revelação do Estado de São Paulo”.

Sobre A Farsa da Justiça

O fato que ficou mundialmente conhecido como O Massacre de Eldorado dos Carajás, aconteceu no sul do estado do Pará, quando um grupo de trabalhadores sem terra interditou a estrada PA-150 em um ato pela reforma agrária, mas foi reprimido pela polícia militar que agiu com extrema violência, matando oficialmente 19 trabalhadores e deixando 71 feridos. Entre os feridos estava Inácio Pereira, que se fez de morto, foi jogado no caminhão dos corpos e se revelou vivo apenas quando chegou ao Hospital de Eldorado dos Carajás. Posteriormente 02 feridos faleceram, totalizando 21 mortos.

Era o dia 17 de abril 1996 e desde então, este dia se tornou a data mundial de luta pela terra.

No ano de 2005, a peça A farsa da Justiça Burguesa foi criada pela Brigada Nacional de Teatro do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) sob a coordenação de Augusto Boal, para ser apresentada na Marcha Nacional pela Reforma Agrária de 2005. Durante o evento, a apresentação do espetáculo aconteceu em meio a forte repressão policial. Por conta de sua estrutura, a peça não foi mais retomada pelo MST.

Em 2012, a Companhia Estudo de Cena retomou e adaptou a peça rebatizando-a de A farsa da justiça, com o objetivo de apresenta-la nas ruas e espaços de reflexão crítica. O grupo montou então o espetáculo de rua A farsa da justiça, uma adaptação do texto criado pela Brigada Nacional de Teatro do MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, com coordenação dramatúrgica de Sérgio de Carvalho.

 

Mais informações em: www.facebook.com/Companhia-Estudo-de-Cena

 

Espetáculo: Guerras Desconhecidas

Quando: dia 04 de agosto de 2018 – sábado – Horário: 16hs

O espetáculo apresenta ao público três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial do país. O espetáculo é composto de um prólogo e três atos: Guerra do Pau-de-Colher, Guerra de São Bonifácio e Guerra do Quintino Gatilheiro. A narrativa é conduzida por Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica, personagens do imaginário social do nosso continente. Para a criação a Estudo de Cena teve como base o caderno “Guerras Desconhecidas do Brasil” escrito pelo jornalista Leonencio Nossa e a construção de um teatro mambembe, a Barraca de Cena, montada em feiras, praças e ruas.

Duração: 90 minutos – Indicação etária: 14 anos – Grátis

Onde: Teatro Popular União e Olho Vivo – Rua Newton Prado, 766, Bom Retiro – São Paulo – SP – Tel 011 3331-1001

 

Espetáculo: A Farsa da Justiça

Quando: dia 05 de agosto de 2018 – domingo – Horário: 16h00

Nessa comédia trágica um tribunal é montado. Na seção um sobrevivente do Massacre de Eldorado dos Carajás, Inácio Pereira, que se fingiu de morto para garantir a vida, é julgado e condenado por negar o justo heroísmo.

Duração: 45 minutos – Indicação etária: 14 anos – Grátis

Onde: Ocupação Marielle Franco – MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto – Avenida Teotônio Vilela, 6400 – Grajaú – Zona Sul – São Paulo – SP.

Fotos: Fernando Solidade