“Dia D” contará com cerca de 900 agentes de zoonoses em atuação; programação inclui atividades educativas e de eliminação de criadouros

 

A Mobilização Nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, que tem o objetivo de promover ações educativas e de combate aos criadouros do vetor da dengue, chikungunya e Zika vírus, acontecerá nesta sexta-feira (8), das 9h às 17h. Entre as atividades que serão realizadas no município de São Paulo, estão previstas a intensificação das visitas casa a casa; ações com crianças em escolas municipais; operações cata-bagulho; orientação e distribuição de panfletos em estações de metrô, no Shopping Campo Limpo, Poupatempo Santo Amaro e Itaquera, em alguns terminais de ônibus, estações de metrô e locais de grande circulação de pessoas; distribuição de telas de caixa d’água e monitoramento de córregos, entre outras

 

“Estamos trabalhando em diversas frentes para evitar o aumento de casos. Para isso, é fundamental combater o vetor com ações nos criadouros. Além das ações dos nossos agentes, é importante que a população fique alerta para reconhecer e combater os locais com água parada, ambiente propício ao Aedes. É importante lembrar que, em média, 85% dos criadouros estão dentro de casa”, afirma Wilson Pollara, secretario Municipal da Saúde,.

 

A partir das 9h, no distrito de Campo Grande, na região Sul, ocorrerá uma intensificação de visita casa a casa para a eliminação de criadouros do mosquito e orientação aos moradores, com 20 agentes da Superintendência do Controle de Endemias (SUCEN) da Secretaria Estadual da Saúde e do Ministério da Saúde. A ação mobilizará também 15 agentes da Unidade de Vigilância em Saúde (UVIS) Santo Amaro/Cidade Ademar. Na ocasião, serão visitados 326 imóveis.

 

Combate ao Aedes em 2017

As ações adotadas pela Prefeitura para o combate ao Aedes aegypti em 2017 diminuíram em 95,12% os casos autóctones de dengue em relação ao ano passado. Até 30 de novembro deste ano, foram registrados 794 casos de dengue contra 16.283 em 2016. Em relação à febre chikungunya, a redução foi de 80%: houve 10 casos em 2017 contra 50 no ano passado. E de Zika vírus, o município registrou três casos neste ano e 10 em 2016, redução de 70%.

 

As medidas também mantiveram o Índice Predial (IP) do LIRAa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegipty), que mede a presença de larvas em imóveis, em nível satisfatório, segundo critérios do Ministério da Saúde. O IP de outubro deste ano é de 0,14. O LIRAa é feito três vezes ao ano – janeiro, junho e outubro.

 

Capacitação para combate ao Aedes aegypti durante as inspeções sanitárias

A Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) realizou, no último dia 1º, no Centro Universitário São Camilo, uma capacitação para as autoridades sanitárias que realizam inspeções. O objetivo foi sensibilizar os agentes que atuam em outras áreas da Covisa, como Saúde do Trabalhador e nas áreas de Vigilância de Produtos e Serviços de Interesse da Saúde, a pensarem em estratégias que possam contribuir para a eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti e auxiliar no controle das arboviroses.

 

No encontro foram abordados temas como a situação epidemiológica das arboviroses, o controle de vetor e a legislação pertinente. “É sempre bom enfatizar para as autoridades sanitárias a importância de observarem a presença de água parada nos estabelecimentos durante as inspeções”, explica o coordenador do Programa Municipal de Controle das Arboviroses, Eduardo de Masi.

 

Serviço

Ação para eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti – Intensificação de visita casa a casa

Data/hora: sexta-feira (8), a partir das 9h

Ponto de encontro: Praça Alcindo Rocha Campos X Avenida Nossa Senhora do Sabará, em frente ao Cemitério do Campo Grande.